Logo Dulcerrado
Logo Dulcerrado

BLOG

Expocaccer e Dulcerrado realizam ação de grande sucesso na Semana Internacional do Café

19/11/2018

Cooperativa reuniu integrantes da cadeia do café no principal evento da cafeicultura realizado em Belo Horizonte.

Comunicação Expocaccer

Entre os dias 07 e 09 de novembro, o mundo do café viveu uma conexão intensa com seus integrante. A Semana Internacional do Café (SIC), realizada desde 2013, em Belo Horizonte, consagrou-se, nesta última edição, como o maior evento da cafeicultura nacional, ganhando projeção internacional com a realização de campeonatos mundiais de barismo.

Conectar foi a palavra-chave

A Expocaccer sempre se fez presente nas edições anteriores da SIC, porém, para esta, projetou uma participação mais efetiva, totalmente alinhada com o propósito da feira: conectar.

Por meio de um projeto-piloto, a Expocaccer fez parceria com 10 de seus 520 cooperados para que, em conjunto, estivessem presentes no evento demonstrando todo o potencial dos cafés da Região do Cerrado Mineiro, a busca pela qualidade contínua no campo e o resultado do trabalho com a Expocaccer, em todas as etapas até chegar à xícara, evidenciado pela Dulcerrado. Assim o espaço da Expocaccer, amplo e bem estruturado, foi uma amostra de tudo que a cooperativa se propõe a realizar para seus cooperados e oferecer para o mercado constantemente.

“Foi um sucesso a ação que a Expocaccer realizou na SIC com os seus cooperados, conseguimos mostrar a diversidade de cafés de alta qualidade que temos no Cerrado. Importante a participação do cooperado, inclusive financeiramente, como foi feito, para que não achem que é uma ação só para uma parcela dos cooperados. Foi um projeto-piloto que deu muito certo, a meu ver. Acredito que o importante é estarmos presentes e mostrarmos os cafés diferenciados que temos no Cerrado, e mostrar a cara do produtor. Entre os benefícios estão os contatos que tivemos e a visitação de nosso estande, com isso percebemos que a cooperativa chamou atenção no evento”, avalia Gláucio de Castro, cooperado e vice-presidente da Expocaccer.

O espaço contou com intensas sessões de cupping para compradores de café nacionais e internacionais. Ao todo foram realizadas 11 sessões, todas com excelente adesão, uma vez que os cafés dispostos na mesa para apreciação eram dos 10 cooperados presentes no evento, o que favoreceu o acesso à informação sobre processos realizados na fazenda, aproximando produtor do comprador, como comenta o cooperado Gil César de Melo, da Fazenda Espião do Palmital, na região de Campos Altos. “Achei a ideia do estande compartilhado fantástica, acho que dilui custos, tanto para a cooperativa quanto para o produtor, e é uma forma do produtor mostrar a cara dele. A cooperativa sempre faz isso, mas acho bacana a gente literalmente mostrar a cara do produtor. Achei a ideia dos cuppings, bem como a os cafés industrializados de cada produtor muito bacana, tudo isso é uma forma de difundir, de expandir, tanto o nome do produtor, como o da Região do Cerrado Mineiro, haja vista que a feira é uma feira de cunho internacional. Achei que foi fantástica, e toparia fazer mais vezes”.

Satisfação também compartilhada pelo jovem cooperado Gustavo Ribeiro, da Fazenda Congonhas, na região de Patrocínio. “A ação da SIC foi de extrema importância, tanto para nós produtores quanto para a cooperativa e seus cooperados como um todo. A feira vem engrandecendo a cada ano que passa e esse é o momento de divulgarmos o resultado de um trabalho do ano inteiro. Nós, da Congonhas, acreditamos que as expectativas foram atendidas, visto que a presença de visitantes em nosso estande foi grande, principalmente nos cuppings. Tivemos retornos positivos de compradores com relação aos cafés que estavam sendo apresentados, inclusive com possibilidade de negócios. Acreditamos que o maior benefício dessa ação é nos fortalecermos enquanto produtores de cafés de qualidade, mostrando isso aos compradores com cafés diferenciados nos cuppings, bem como fortalecer nossa origem – Cerrado Mineiro – e nossa cooperativa – Expocaccer”, ressalta.

A cafeicultora Ana Cecília Velloso, da São Luiz Estate Coffee, em Carmo do Paranaíba, complementa. “O mais importante é a visão da Expocaccer na transparência de intermediar as negociações junto com o produtor nessa mudança da comercialização tradicional. A conexão produtor versus torrefador é um caminho sem volta no café especial e foi uma experiência muito válida o contato com o cliente no momento do cupping”, afirma.

Tesouros da Expocaccer

Recentemente a Expocaccer criou a divisão de cafés especiais dentro de seu departamento comercial. O projeto-piloto descrito está em sintonia com as ações desta divisão, bem como com todo o esforço empenhado pela cooperativa no incentivo, orientação e promoção dos cafés especiais dos cooperados, cuja divisão leva o nome “Tesouros da Expocaccer”, fazendo menção ao trabalho da equipe em identificar os melhores lotes e coloca-los nos melhores mercados, sendo este o engajamento na SIC.

“A ação da SIC foi o pontapé inicial da comercialização de cafés especiais da Fazenda Bernardes Coffee. A divulgação foi extraordinária, vários compradores nos procuraram, algo que nunca tinha acontecido. A equipe da Expocaccer e produtores formaram uma grande família nesses três dias, superando as expectativas. Tivemos bastante contato com compradores de cafés especiais, além do grande aprendizado com os produtores, cooperados e equipe Expocaccer/Dulcerrado ali presentes. Acredito que em pouco tempo conseguiremos uma resposta positiva dos compradores para iniciarmos as vendas junto a Expocaccer”, fala Guilherme Mendes, agrônomo da Fazenda Bernades Coffee.

Conexão pela xícara

A Dulcerrado também surpreendeu o público da SIC ao apresentar 10 cafés servidos em diferentes métodos de preparo. Assim, o visitante podia escolher qual café degustar, levar para casa e ainda conhecer o produtor, fator que despertou o interesse e a movimentação no estande, fazendo com que as vendas dos cafés industrializados superassem as expectativas.

“Fiquei muito orgulhosa de ter participado da SIC com meu café, foi muito importante pra mim em dois sentidos: eu tive muito contato com provadores de café, compradores de café verde, recebi muitos feedbacks do meu café, foi muito interessante, e ao mesmo tempo, a gente teve, com a Dulcerrado, a chance de ter os feedbacks do consumidor, com o café torrado. Foi uma experiência muito enriquecedora, e eu estou muito satisfeita por ter feito parte dos produtores que vieram até aqui”, alegra-se a cooperada Mariana Heitor, da fazenda Reserva Heitor em Patos de Minas.

Para Poliana Gonçalves, gestora da Cafeteria Dulcerrado, “a diversidade de cafés apresentada agradou os visitantes, o que foi extremamente positivo, pois a proposta apresentada na cafeteria Dulcerrado a ser inaugurada em dezembro na cidade de São Paulo, no Shopping Jardim Sul, no Bairro Morumbi, não será diferente. Apresentaremos seis cafés de origem Cerrado Mineiro dentro do nosso mix de produtos, com o objetivo de gerar diferentes experiências e valorizar o potencial da nossa região”, conta.

Sucesso                                                                     

Com o estande lotado em todos os dias do evento, a Expocaccer finalizou o evento com a certeza de ter feito a escolha certa em sua estratégia para a SIC, considerada histórica, cuja edição também ficará marcada na história da cooperativa como um capítulo de sucesso.

“Gostaria de agradecer a Expocaccer pela oportunidade de participar da Semana Internacional do Café, foi um prazer representar nossos cafés e também nossos outros cooperados que não estiveram presentes. Nossa cooperativa foi muito bem representada com 10 produtores que estão muito bem alinhados nessa onda do café que está sendo surfada. Somos a cooperativa que mais emprega qualidade no Brasil, somos formados por produtores competentes tanto em produtividade quanto em qualidade, e iniciativas como essa ajudam a nos fortalecer, cada vez mais, no cenário nacional e internacional. Estou surpreso até agora o quanto foi movimentado nosso estande e o nível dos cafés que estavam na mesa, foi impressionante. É com essa mentalidade que vamos crescer e incentivar novos produtores a utilizar nossa cooperativa no caminho dos cafés especiais. Esta ação atendeu muito a expectativa da nossa família. Nesse tipo de evento é onde conseguimos mostrar nossa cara, fazer parcerias, mostrar um pouco da nossa história e trabalho. Nossa cooperativa tem os melhores cafés do Brasil e esse é o momento de fazer divulgação de um trabalho do ano inteiro”, finaliza Francisco Guimarães, da fazenda Lavrinha, em Serra do Salitre.

Escrito por: Alana

Expocaccer e Dulcerrado realizam ação de grande sucesso na Semana Internacional do Café

19/11/2018

Cooperativa reuniu integrantes da cadeia do café no principal evento da cafeicultura realizado em Belo Horizonte.

Comunicação Expocaccer

Entre os dias 07 e 09 de novembro, o mundo do café viveu uma conexão intensa com seus integrante. A Semana Internacional do Café (SIC), realizada desde 2013, em Belo Horizonte, consagrou-se, nesta última edição, como o maior evento da cafeicultura nacional, ganhando projeção internacional com a realização de campeonatos mundiais de barismo.

Conectar foi a palavra-chave

A Expocaccer sempre se fez presente nas edições anteriores da SIC, porém, para esta, projetou uma participação mais efetiva, totalmente alinhada com o propósito da feira: conectar.

Por meio de um projeto-piloto, a Expocaccer fez parceria com 10 de seus 520 cooperados para que, em conjunto, estivessem presentes no evento demonstrando todo o potencial dos cafés da Região do Cerrado Mineiro, a busca pela qualidade contínua no campo e o resultado do trabalho com a Expocaccer, em todas as etapas até chegar à xícara, evidenciado pela Dulcerrado. Assim o espaço da Expocaccer, amplo e bem estruturado, foi uma amostra de tudo que a cooperativa se propõe a realizar para seus cooperados e oferecer para o mercado constantemente.

“Foi um sucesso a ação que a Expocaccer realizou na SIC com os seus cooperados, conseguimos mostrar a diversidade de cafés de alta qualidade que temos no Cerrado. Importante a participação do cooperado, inclusive financeiramente, como foi feito, para que não achem que é uma ação só para uma parcela dos cooperados. Foi um projeto-piloto que deu muito certo, a meu ver. Acredito que o importante é estarmos presentes e mostrarmos os cafés diferenciados que temos no Cerrado, e mostrar a cara do produtor. Entre os benefícios estão os contatos que tivemos e a visitação de nosso estande, com isso percebemos que a cooperativa chamou atenção no evento”, avalia Gláucio de Castro, cooperado e vice-presidente da Expocaccer.

O espaço contou com intensas sessões de cupping para compradores de café nacionais e internacionais. Ao todo foram realizadas 11 sessões, todas com excelente adesão, uma vez que os cafés dispostos na mesa para apreciação eram dos 10 cooperados presentes no evento, o que favoreceu o acesso à informação sobre processos realizados na fazenda, aproximando produtor do comprador, como comenta o cooperado Gil César de Melo, da Fazenda Espião do Palmital, na região de Campos Altos. “Achei a ideia do estande compartilhado fantástica, acho que dilui custos, tanto para a cooperativa quanto para o produtor, e é uma forma do produtor mostrar a cara dele. A cooperativa sempre faz isso, mas acho bacana a gente literalmente mostrar a cara do produtor. Achei a ideia dos cuppings, bem como a os cafés industrializados de cada produtor muito bacana, tudo isso é uma forma de difundir, de expandir, tanto o nome do produtor, como o da Região do Cerrado Mineiro, haja vista que a feira é uma feira de cunho internacional. Achei que foi fantástica, e toparia fazer mais vezes”.

Satisfação também compartilhada pelo jovem cooperado Gustavo Ribeiro, da Fazenda Congonhas, na região de Patrocínio. “A ação da SIC foi de extrema importância, tanto para nós produtores quanto para a cooperativa e seus cooperados como um todo. A feira vem engrandecendo a cada ano que passa e esse é o momento de divulgarmos o resultado de um trabalho do ano inteiro. Nós, da Congonhas, acreditamos que as expectativas foram atendidas, visto que a presença de visitantes em nosso estande foi grande, principalmente nos cuppings. Tivemos retornos positivos de compradores com relação aos cafés que estavam sendo apresentados, inclusive com possibilidade de negócios. Acreditamos que o maior benefício dessa ação é nos fortalecermos enquanto produtores de cafés de qualidade, mostrando isso aos compradores com cafés diferenciados nos cuppings, bem como fortalecer nossa origem – Cerrado Mineiro – e nossa cooperativa – Expocaccer”, ressalta.

A cafeicultora Ana Cecília Velloso, da São Luiz Estate Coffee, em Carmo do Paranaíba, complementa. “O mais importante é a visão da Expocaccer na transparência de intermediar as negociações junto com o produtor nessa mudança da comercialização tradicional. A conexão produtor versus torrefador é um caminho sem volta no café especial e foi uma experiência muito válida o contato com o cliente no momento do cupping”, afirma.

Tesouros da Expocaccer

Recentemente a Expocaccer criou a divisão de cafés especiais dentro de seu departamento comercial. O projeto-piloto descrito está em sintonia com as ações desta divisão, bem como com todo o esforço empenhado pela cooperativa no incentivo, orientação e promoção dos cafés especiais dos cooperados, cuja divisão leva o nome “Tesouros da Expocaccer”, fazendo menção ao trabalho da equipe em identificar os melhores lotes e coloca-los nos melhores mercados, sendo este o engajamento na SIC.

“A ação da SIC foi o pontapé inicial da comercialização de cafés especiais da Fazenda Bernardes Coffee. A divulgação foi extraordinária, vários compradores nos procuraram, algo que nunca tinha acontecido. A equipe da Expocaccer e produtores formaram uma grande família nesses três dias, superando as expectativas. Tivemos bastante contato com compradores de cafés especiais, além do grande aprendizado com os produtores, cooperados e equipe Expocaccer/Dulcerrado ali presentes. Acredito que em pouco tempo conseguiremos uma resposta positiva dos compradores para iniciarmos as vendas junto a Expocaccer”, fala Guilherme Mendes, agrônomo da Fazenda Bernades Coffee.

Conexão pela xícara

A Dulcerrado também surpreendeu o público da SIC ao apresentar 10 cafés servidos em diferentes métodos de preparo. Assim, o visitante podia escolher qual café degustar, levar para casa e ainda conhecer o produtor, fator que despertou o interesse e a movimentação no estande, fazendo com que as vendas dos cafés industrializados superassem as expectativas.

“Fiquei muito orgulhosa de ter participado da SIC com meu café, foi muito importante pra mim em dois sentidos: eu tive muito contato com provadores de café, compradores de café verde, recebi muitos feedbacks do meu café, foi muito interessante, e ao mesmo tempo, a gente teve, com a Dulcerrado, a chance de ter os feedbacks do consumidor, com o café torrado. Foi uma experiência muito enriquecedora, e eu estou muito satisfeita por ter feito parte dos produtores que vieram até aqui”, alegra-se a cooperada Mariana Heitor, da fazenda Reserva Heitor em Patos de Minas.

Para Poliana Gonçalves, gestora da Cafeteria Dulcerrado, “a diversidade de cafés apresentada agradou os visitantes, o que foi extremamente positivo, pois a proposta apresentada na cafeteria Dulcerrado a ser inaugurada em dezembro na cidade de São Paulo, no Shopping Jardim Sul, no Bairro Morumbi, não será diferente. Apresentaremos seis cafés de origem Cerrado Mineiro dentro do nosso mix de produtos, com o objetivo de gerar diferentes experiências e valorizar o potencial da nossa região”, conta.

Sucesso                                                                     

Com o estande lotado em todos os dias do evento, a Expocaccer finalizou o evento com a certeza de ter feito a escolha certa em sua estratégia para a SIC, considerada histórica, cuja edição também ficará marcada na história da cooperativa como um capítulo de sucesso.

“Gostaria de agradecer a Expocaccer pela oportunidade de participar da Semana Internacional do Café, foi um prazer representar nossos cafés e também nossos outros cooperados que não estiveram presentes. Nossa cooperativa foi muito bem representada com 10 produtores que estão muito bem alinhados nessa onda do café que está sendo surfada. Somos a cooperativa que mais emprega qualidade no Brasil, somos formados por produtores competentes tanto em produtividade quanto em qualidade, e iniciativas como essa ajudam a nos fortalecer, cada vez mais, no cenário nacional e internacional. Estou surpreso até agora o quanto foi movimentado nosso estande e o nível dos cafés que estavam na mesa, foi impressionante. É com essa mentalidade que vamos crescer e incentivar novos produtores a utilizar nossa cooperativa no caminho dos cafés especiais. Esta ação atendeu muito a expectativa da nossa família. Nesse tipo de evento é onde conseguimos mostrar nossa cara, fazer parcerias, mostrar um pouco da nossa história e trabalho. Nossa cooperativa tem os melhores cafés do Brasil e esse é o momento de fazer divulgação de um trabalho do ano inteiro”, finaliza Francisco Guimarães, da fazenda Lavrinha, em Serra do Salitre.

Escrito por: Alana